10 Músicas Nacionais que Fizeram Parte da Minha Vida

Não querendo ser complexado na vira-latice, mas em matéria de música nacional atual, estou fora. Desde que sertanejo, funk e afins invadiram as rádios e programas de palco intragáveis na TV aberta, não tem como suportar o mesmo tom batido dos incontáveis MCs que brotam por aí e as letras que parecem ter sido escritas em minutos, com gírias do momento dos sertanejos, sejam eles duplas ou não.

Pode até ser inacreditável, mas houve uma época que já ouvi músicas tupiniquins. Numa dessas madrugadas que não consigo dormir num horário apropriado, voltei a ouvir algumas delas. Num resquício do passado, elas foram surgindo como lembranças de minha infância e adolescência. Daí surgiu a ideia de compilar dez músicas que fizeram parte de minha vida.

Para compor esta lista, coloquei uma música para cada artista, para dar maior diversificada. Mesmo assim, o autor pode repetir quando ele criou a música, mas foi cantada por outro. Por ser uma lista bem pessoal, pode ser que tenham algumas que vocês não gostem. A ordem é aleatória, não está em contagem regressiva. Ela foi criada num momento de brainstorming, então não há sequência lógica. Enfim, leiam e ouçam, se quiserem.

1- Fat Family - Gulosa


"Com esse olhar sensual
Você me conquistou, fez tudo que queria
Fez muito além do bem e do mal"

 
 Há quem diga que Fat Family era uma guilty pleasure, comparada a outros artistas considerados ruins na época em que bombaram. Olha, se for comparado à predominância de sofrência e dor de corno dos dias de hoje, prefiro mil vezes ver os sete integrantes deste grupo fazendo a dancinha do pescoço. Eles cantam muito! Sem contar que a batida pop combina - e como! - com o coral gospel que eles emulam.


2- Pato Fu - Eu


"Eu...queria tanto encontrar
Uma pessoa como eu
A quem eu possa confessar
alguma coisa sobre mim"


Me pergunto se, no momento que mencionei Pato Fu, você, caro leitor, achou que iria incluir Made in Japan? Ahahahaha, nope. Pensei em inserir Ando Meio Desligado, mas decidi por esta. Taí uma banda que queria que voltasse à ativa. Aliás, ela ainda existe? Tinha uma queda pela Fernanda Takai. A voz delicada e intimista dela sempre me intrigou. De qualquer modo, Eu me surpreendeu pelo tom mais sombrio. Claro que o uso de teremim contribui pra isso, e o torna ainda mais legal. Curioso que enquanto pesquisava sobre essa música, descubro que a versão original não é do Pato Fu, e sim de uma banda alternativa, chamada Graforréia Xilarmônica. Vou dar uma conferida.


3- Marjorie Estiano - Você Sempre Será


"Que eu posso tentar te esquecer
Mas você sempre será
A onda que me arrasta
Que me leva pro teu mar..."


Se não me engano, Marjorie estava na crista da onda (I see what you did there!) por causa daquela novelinha tosca, em que era integrante de uma banda fictícia. Daí foi natural investir na carreira de cantora. Ouvi Você Sempre Será só por causa da febre, já que não parava de tocar nas rádios. Na época não passava de um rock pop bobinho, que poderia se perder em meio a tantas outras bandas do tipo. Entretanto, não posso negar que de tanto grudou, acabou marcando aquele tempo.


4- Skank - Três Lados (Ao Vivo - Ouro Preto)


"Você estava longe, então
Por que voltou?"


Skank deve ser a única banda nacional que curto de verdade. Tanto é que tinha várias opções para incluir nesta lista: Resposta, Dois Rios, Vou Deixar, Amores Imperfeitos, e por aí vai. Como só queria incluir uma música para cada artista, escolhi Três Lados. Mas não a que foi gravada em estúdio, e sim a versão ao vivo no show de Ouro Preto. Meu pai sempre deixava o CD desse concerto tocando no carro, e eu sempre ficava na expectativa dela começar.

É gritante a diferença desta versão com a gravada em estúdio. Nela, parece que Samuel Rosa está de saco cheio, entediado entoando a letra. Não sei se é o público animado, sem a preocupação de fazer selfie ou gravar Snapchat na época, ou a acústica está diferente, mas esta versão ao vivo de Três Lados é simplesmente incrível.



5- Kid Abelha - Nada Sei (Apnéia) - MTV Acústico


"Sou errada, sou errante
Sempre na estrada
Sempre distante..."


Mais uma que aprendi a gostar ouvindo no carro, enquanto viajava com a família. Não sou muito fã dos álbuns acústicos, que já foram tendência da MTV. Mas há uma naturalidade nesta versão, um arranjo que combina muito bem com a voz da Paula Toller. Aliás, ela parou no tempo? Envelhece nunca!


6- Rita Lee - Tudo Vira Bosta


"Pavarotti e Xororó
Minha éguinha pocotó
Ninguém vai escapar do pó
Sua boca e seu loló
Tudo vira bosta..."


Fora os clássicos, um dos álbuns que mais gostei de ouvir da Rita Lee foi Balacobaco, lançado em 2003. Além da canção título, sempre deixava tocar Amor e Sexo, As Minas de Sampa, Hino dos Malucos (por causa do filme Os Normais) e, óbvio, Tudo Vira Bosta. A letra, composta por ela e Moacir Franco, além de ser zoeira total, pega. As rimas, que vão do simples arroz com feijão até combinar cristão com tesão, sempre me fizeram rir. Mas rio alto mesmo quando ela bota Xororó e Éguinha Pocotó no lugar deles, rimando-os com um tal de loló...


7- Cidade Negra - Sábado à Noite



"Todo mundo sonha em ter
Uma vida boa
Sábado à noite
Tudo pode mudar..."


Estava indeciso entre Sábado à Noite e Girassol, mas Sábado ganhou só por causa da batida, que já aparece no começo e fica até o fim. A letra pode até não ser tão criativa quando Girassol, mas não tem como se animar com a chegada do fim de semana ouvindo esta versão do Cidade Negra, com o autor Lulu Santos acompanhando.


 
8- Lulu Santos - Toda Forma de Amor



"Consideramos justa
Toda forma de amor..."


Olha aí Lulu Santos de novo. Além do na na na na que todo mundo reconhece na hora, Toda Forma de Amor emana os embalos dos anos 80. E a mensagem dela, que fiz questão de citar, continua mais atual que nunca, e ainda precisa ser entendida por grande parte da sociedade.



9- Daniela Mercury - À Primeira Vista



"Quando chegou carta, abri
Quando ouvi Prince, dancei..."

Aqui tenho lembranças das aulas de Música da professora Sônia, no Imaculada. Lembro que cheguei na escola na 4a série e todos já sabiam tocar flauta. Numa das primeiras apresentações, os novatos não tiveram tempo de ensaiar com esse instrumento, então a Sônia me deixou com um chocalho. Sim, isso mesmo. Bom, melhor que ter recebido um triângulo... Eu acho.

Divagações à parte, em outro ano - acho que foi na sétima ou oitava série -, cada classe tinha que fazer uma coreografia para uma música brasileira para o sarau da escola. A escolhida foi a versão de Daniela Mercury de À Primeira Vista, cuja autoria é de Chico César. Lembro até hoje que tinha um carinha babaca na classe que só reclamava porque achava que dançar era coisa pra menina. Pessoalmente, nunca curti dançar, pois só tenho coordenação motora pro videogame. E torci o nariz quando vi que era axé. Pelo menos À Primeira Vista é bem diferente de outras músicas do gênero, e a guitarra faz uma baita diferença. No fim, foi uma experiência bacana dançá-la no ginásio.


10- Legião Urbana - Mais uma Vez



"Tem gente que está do mesmo lado que você
Mas deveria estar do lado de lá..."


Pra fechar, uma banda meio que óbvia. Fiquei entre esta e Eduardo e Mônica, mas Mais uma Vez me marcou mais. Ela me faz lembrar de um churrasco que tive com uns colegas da escola de Inglês em que trabalhava. Era uma noite fria, e sentamos em círculo para conversar. Um dos professores teve a ideia de pegar a guitarra e cantar o que quisessem da pasta de partituras que havia levado. "Legal, conheço quase nada", pensei na hora.

Eis que encontro esta canção, que fez mais sucesso na versão solo do Renato Russo. Fiquei feliz que, quando começou a rolar, todo mundo acompanhou o professor-cantor em uníssono. O ritmo pode até ser repetido, mas a letra sempre me impactou, pois parece depressiva, mas na verdade quer despertar, seguir em frente. Tem partes que dão até vontade de cantar a plenos pulmões, apontando para certas pessoas que passaram na vida...

Bom...é isso! Espero que tenham gostado da coletânea de músicas que fizeram - ou, a partir de agora, ainda fazem! - parte de minha trajetória. Qual gostou mais, qual não suportou ouvir os primeiros acordes? Comenta aí ou no Facebook!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3 vezes em que a Problematização foi longe demais

Teacher, how do you say... Rebimboca da Parafuseta?

Mais uma vez de volta