Desperate Writers

Falem o que quiserem, mas sempre gostei de Desperate Housewives. Desde as temporadas elogiadas - a primeira, a primeira metade da terceira e a quarta - até as mais toscas - a segunda, a segunda metade da terceira e a quinta foram uma bosta elevada à décima potência -, consegui acompanhar firme e forte. Mas já está dando vários sinais de desgaste.

Prova disso é uma notícia que li num site (extremamente ruim, mas enfim, pode ser verdade), que dizia que um desastre de avião vai matar alguém do elenco. Oh, novidade.

A premissa da série, em seu episódio piloto, era mesclar a vida (nada) monótona de um grupo de donas-de-casa com bastante humor negro, com o pano de fundo do mistério do suicídio da narradora. O mistério instigou bastante o público, esbanjando sempre uma média de mais de vinte milhões de telespectadores durante a primeira temporada.

Resolvido o motivo do suicídio de Mary Alice (Brenda Strong), a série tem tentado apresentar um novo mistério, mas todos foram rechaçados. Desde a prisão domiciliar do filho deficiente de Betty Applewhite (Alfre Woodward) até Gloria (Dixie Carter), a serial killer de noras - provocou a morte de Alma (Valerie Mahaffey) e quase matou Bree (Marcia Cross, que durante essa temporada sumiu por causa de uma gravidez), as coisas descarrilharam e não causaram tanta comoção.

A introdução de Katherine Mayfair (Dana Delaney) deu um bom fôlego ao descobrirmos sua background junto ao marido monstro, o policial violento Wayne Davis, vivido muito bem por Gary Cole. Logo em seguida, o avanço de cinco anos na vida das donas-de-casa era uma boa tentativa de dar uma repaginada na série, mas que infelizmente foi previsível e monótona, com o vilão Dave Williams (Neal McDonough) provocando a morte da subaproveitada personagem Edie (Nicollette Sheridan) e reunindo os pombinhos mais babacas, Susan (Teri Hatcher) e Mike (Jamie Denton).

Quanto à sexta temporada, tenho visto com um pé atrás, já que MAIS uma vez envolve uma família misteriosa, encabeçada pela dona-de-casa durona Angie Bolen (Drea de Matteo). Vamos ver...

O que me chateia é colocarem tanta desgraça numa série cômica cuja sinopse envolvia retratar o dia-a-dia de donas-de-casa, somente, com relacionamentos, sexo, fofoca, o que seja. Mas não:

- a primeira tragédia anunciada foi o sequestro dentro de um supermercado no episódio Bang, da terceira temporada. A tresloucada Carolyn Bigsby (Laurie Metcalf, hoje ela é a mãe crente do Sheldon!!!) começa a atirar no supermercado onde o marido trabalha e mata Nora (Kiersten Warren) ao descobrir que ela perseguia o marido de Lynette (Felicity Huffman, a maior sofredora da série), que nada tinham a ver com a história.

- na temporada seguinte, um tornado ataca a cidade, destruindo meio mundo. TODOS os personagens principais sobreviveram, exceto Ida Greenberg (Pat Crawford Brown), uma velhinha que nada acrescentava na história, mas que ganhou uma legião de fãs.

- um ano depois, na quinta temporada, um incêndio numa das boates da cidade seria o palco de mais uma tragédia, que matou gente sim, mas todo mundo do elenco original continuou.

WTF?? Então esse acidente de avião vai fazer o que agora, pro enredo da série??? Será que vai ajudar a desvendar quem é o estrangulador das ruas? Segundo o site, a lista de vítimas em potencial são Orson, Karl, Katherine, Andrew, Julie, Bob, Lee, e Jackson (ÓBVIO que nenhuma das housewives principais estão marcadas). Estou apostando em Andrew e Jackson, já que não estão fazendo falta alguma.

Que coisa não? Na próxima temporada - provavelmente a última - vai acontecer o que? Um meteoro vai cair, exterminando todos? Só vendo - e reprovando - pra crer.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3 vezes em que a Problematização foi longe demais

Mais uma vez de volta

Sugestão de série - Crazy Ex-Girlfriend