Review: American Idol Top 12 - Results

Noite morna na estréia do Idol no palco grande, com as performances dos doze melhores. As apresentações do top 12 sempre tem uma temática bacana e curiosa para ser explorada. Este ano os candidatos tiveram que escolher uma faixa da discografia dos Rolling Stones. Tudo bem que não superou as duas semanas de Beatles na sétima temporada e do Michael Jackson do ano passado, mas serviu pra mostrar quem está no páreo.

E apenas quatro se destacaram...isso não é bom! Ano passado contávamos com Adam Lambert, Danny Gokey, Kris Allen e Allison Iraheta florescendo (não soou muito bem, HAUAHAuhauah) junto com a volta de Matt Giraud, Megan Joy e o tombo retumbante de Anoop Desai ao pensar que superaria Beat It. E o que dizer de 2008, quando tínhamos Carly Smithson - minha favorita na época -, Michael Johns, Brooke White com uma performance poderosa de Let It Be e os dois Davids, um caindo de primeira (Archuleta esquecendo a letra de We Can Work It Out) e outro subindo num nível impressionante (Cook cantando um cover de Eleanor Rigby feito por Doxology)?

Três garotas e um rapaz estão no páreo pra liderança. E devo dizer que Crystal Bowersox, muito paparicada assim no começo já está sendo um porre. Sempre o mesmo violão, sempre aquela sensação de Janis Joplin ter ressuscitado...sei não. E Didi Benami pode até ter ido bem essa semana, de acordo com os jurados (não achei grande coisa, a voz pra mim não combinou com a melodia de Playing With Fire). Mas nas semi-finais ela derrapou duas vezes seguidas...Tá perigando ser a Brooke White deste ano, de começar bem definhar até chegar num top 6 ou 5.

Sim, a Siobhan Magnus reina absoluta como a favorita. Entretanto, aquele grito estridente no meio de Paint It Black foi incompreensível na performance como todo. Mas devo confessar que a música parecia ter sido feito pra ela. Caiu como uma luva. Eu pessoalmente curti ela pondo os óculos pra ver os números de telefone...ela é muito carismática, e certeza que não cai em nenhum bottom 3.

Não posso deixar de puxar sardinha pro meu favorito, a zebra Lee DeWyze. HAHahaha Enquanto todo o público torcia por Andrew Garcia (só falling apart após Straight Up), Michael Lynche (ODIEI como perderam tempo com ele esperando pela filha nascer, me soou forçado) e o banana do Alex Lambert (já basta tolerarmos um outro Lambert por aí), ele vem crescendo pra caramba na competição. Kara DioGuardi estava certa ao dizer isso, e temo que ele tenha crescido tanto que agora tenda a cair facilmente.

Sua apresentação de Beast of Burden foi segura demais e eu mesmo esperava que ele pegasse um rock mais enérgico, assim como tivera feito com Lips of an Angel. Mas não dá pra negar que a versão dele foi muito bacana e ótima pra ouvir num mp3 (a versão estúdio já está no meu, XD). Ficou numa mescla de Jack Johnson e Colbie Caillat, mas com um vocal bem mais agradável de ouvir.

Quanto ao resto, é resto. Prevejo mais alguns pra cair logo de uma vez (estou falando de Tim Urban, Katie Stevens e Aaron Kelly), e alguns que até tem chance de dar a volta por cima, como Mike e Casey James. Andrew precisa superar Paula Abdul (já são quatro semanas tentando...), e Paige Miles... sei não. Se não for bem MESMO, é a próxima.

Ainda não sei por que a Lacey Brown é tão odiada. Ela não pegou o lugar de ninguém, e realmente mereceu estar no top 12 por ter conseguido uma performance tão bela de The Story. Ruby Tuesday foi uma série de vezes melhor que a versão reggae (PQP, WTF) de Under My Thumb do Teen Urban. Mesmo assim ela saiu...fiquei com pena dela ter saído. Ela sempre disse que gostava de contar histórias através da música. Espero que essa trovadora consiga o que queira.

Veremos agora como vai ser esta semana. Confira cobertura (atrasada) aqui!!!

PS: David Cook cantando na noite de eliminação...Pois é, isso é que é ídolo!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3 vezes em que a Problematização foi longe demais

Mais uma vez de volta

Sugestão de série - Crazy Ex-Girlfriend